segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

O QUE É A NUTRIGENÓMICA? COMO LHE PODE AJUDAR?

Genética: o ramo da biologia que estuda a transferência das características físicas e biológicas de geração para geração.

Genómica funcional é um campo da biologia molecular que descreve a função de genes e proteínas.

NUTRIGENÓMICA: chamada genómica nutricional, é a ciência que estuda o impacto dos nutrientes na expressão genética ou seja, como os nutrientes podem influenciar a expressão e função dos nossos genes.

A Nutrigenómica é uma ciência que prima por deixar que  "seu alimento seja o seu medicamento". Fornece meios para prevenir e tratar o desenvolvimento de doenças por meio da alimentação.
Apesar de sermos diferentes uns dos outros em aspectos físicos, nosso genoma é 99% idêntico, sendo 0,1% de diferença, responsável por alterações na cor da pele, dos olhos, dos cabelos e inclusive pelo maior ou menor risco para desenvolver doenças crónicas e pela necessidade nutricional e de compostos bioativos de alimentos. Essas diferenças são conhecidas como polimorfismos de nucleotídeos únicos (SNPs, do ingles single-nucleotide polymorphism). Atualmente, já são conhecidos mais de 10 milhões de SNPs no genoma humano. É difícil mudar os nossos genes, mas podemos através da nossa alimentação modificar a sua expressão e assegurar a estabilização destes. Perceber estas modificações e agir obtendo uma resposta nutricional pode melhorar significativamente a expressão genética e a funcionalidade dos órgãos e metabolismos.



Hoje em dia imensas são as fontes que promovem a alteração da expressão genómica:
  •           Stresse,
  •           Tabagismo,
  •           Redes de internet móvel,
  •           Poluição,
  •           Atividade física intensa,
  •           Ação de fármacos,
Além das várias fontes de alteração, os nossos genes podem ser ativados ou silenciados em função do nosso consumo alimentar/nutricional. Portanto, obtemos uma resposta rápida, gradual ou lenta ao consumo de determinados nutrientes tendo em conta a nossa expressão genómica. Se existe uma predisposição genética a patologias crónicas como diabetes mellitus, Osteoporose, Hipertensão, Obesidade e Cancro (entre outras) o seu estilo de vida e hábitos alimentares inadequados poderão potenciar essa expressão genética. 

AVALIAÇÃO GENÓMICA alerta-nos para:
  •      A condição de alguns órgãos,
  •      A presença/ausência de enzima essenciais à desintoxicação,
  •      A suscetibilidades a patologias específicas,
  •      Carências nutricionais,
  •      Intolerâncias alimentares,
  •      Predisposições para a atividade física especifica,
  •      Alterações do metabolismo lípico, glicémico, hormonal, cognitivo,
  •      Níveis de ferro,
  •      A manutenção da saúde óssea,
  •      Equilíbrio da função imunológica,
  •  
                      Estão estabelecidas e reconhecidas algumas recomendações importantes associadas à influência de alguns micro e macronutrientes na expressão genética. Por exemplo, o consumo de ÁCIDOS GORDOS ÔMEGA-3, presentes em alguns tipos de peixes, altera a expressão de mais de 1000 genes, muitos dos quais envolvidos com a inibição do desenvolvimento da aterosclerose. Além disso, O RESVERATROL, composto antioxidante de excelência, é capaz de induzir e reprimir a expressão de genes que codificam proteínas vasodilatadoras e vasoconstritoras, respetivamente, o que parece explicar seus efeitos benéficos em doenças cardiovasculares.


                      Diferentemente de fármacos, que são desenhados para atuar em vias específicas, componentes dos alimentos apresentam múltiplos alvos moleculares. Apesar de sua menor potência quando comparados a moléculas sintéticas, nutrientes e alguns compostos bioativos de alimentos podem atuar de forma sinérgica por se encontrarem em diferentes combinações nos alimentos. Tanto a alimentação pode influenciar a atividade dos genes, como os genes podem influenciar a necessidade de nutrientes.

                      Conhecer estes parâmetros a nível pormenorizado e individual tornam possível um aconselhamento correto de alimentos que devemos ingerir, em que quantidade; que substâncias devem ser evitadas e como podemos rejuvenescer as novas células melhorando o nosso de estado de saúde, energia, vitalidade – qualidade de vida.

                      Drª Inês Pereira
                      Nutricionista
                      ines.pereira@clinicadopoder.pt

                      Para mais informações consulte a Clínica do Poder.
                      Contacte-nos!

                      VIVA COM SAÚDE, PODER E QUALIDADE DE VIDA!

                      GOSTE E PARTILHE MAIS E MELHOR SAÚDE!




                      Sem comentários:

                      Publicar um comentário