quinta-feira, 7 de junho de 2018

CAUSAS DA DISFUNÇÃO ERÉTIL

As principais causas da Disfunção Erétil são:


  • Drenagem Venosa Anormal;
  • Doença de Peyronie;
  • Arteriosclerose;
  • Desequilíbrio Hormonal;
  • Atrofia dos corpos cavernosos;
  • Diabetes;
  • Medicação;
  • Prostatite;
  • Cirurgia;
  • Priapismo;
  • Hábitos de vida (sedentarismo, alcoolismo e tabagismo)

DRENAGEM VENOSA ANORMAL

As ereções difíceis de manter ou que se perdem rapidamente antes da ejaculação podem resultar de uma drenagem venosa anormal.

Há várias razões passíveis de originar esta situação:

  • A fraca musculatura lisa dos corpos cavernosos pode gerar pressão insuficiente sobre as veias de drenagem do pénis (impedindo-as de fechar) e sobre os pontos em que as veias atravessam a túnica albugínea para regressarem ao organismo exterior. Este fenómeno ocorre devido à falta de expansão dos corpos cavernosos e/ou insuficiente contração da túnica albugínea (a bainha elástica que envolve os corpos cavernosos). Os compartimentos eréteis não são totalmente preenchidos. Neste caso, estamos perante uma disfunção caverno-oclusiva.
  • As falhas na ereção podem resultar de uma ligação anormal entre as artérias e as veias do pénis. Neste caso, a fuga venosa é causada pela drenagem anómala do sangue.
  • Drenagem excessiva devido à existência de veias extra, anormais, posicionadas em sentido contrário e demasiado volumosas. Este fenómeno designa-se de circulação colateral

DOENÇA DE PEYRONIE

Um sintoma frequente da Doença de Peyronie é um pequeno alto que o doente poderá sentir sob a pele do pénis. Este alto não é mais do que uma fibrose no interior dos compartimentos eréteis. Julga-se que começa por se manifestar na túnica albugínea, estendendo-se em seguida aos corpos cavernosos.

À medida que a fibrose progride ao longo das paredes dos compartimentos eréteis, o pénis torna-se incapaz de se manter direito quando em ereção. O tecido cicatricial repuxa então o pénis para o lado em que a fibrose ocorreu, “dobrando-o” na direção da cicatriz. Por vezes, a distorção do pénis é tal que a ereção se torna dolorosa ou a penetração e a relação sexual bem-sucedida se tornam impossíveis. Esta fibrose pode restringir a circulação sanguínea no pénis, tornando flácida a zona da glande.

Esta doença não é rara em homens com idades compreendidas entre os 40 e os 65 anos, mas pode verificar-se em qualquer idade.

A sua causa é desconhecida, mas esta patologia pode associar-se ao consumo excessivo de álcool e tabaco. A Doença de Peyronie produz o máximo de lesões nos primeiros 6 meses a 1 ano, podendo depois tornar-se inativa, deixando a cicatriz.

ARTERIOSCLEROSE

O endurecimento das artérias é uma causa muito comum de disfunção erétil.
Há vários fatores passíveis de originar insuficiência circulatória no pénis em idosos, sendo os principais:


  • Colesterol elevado;
  • Diabetes;
  • Inflamação associada à prostatite;
  • Hipertensão arterial;
  • Tabagismo;
  • Traumatismos.

CONDICIONANTES ENDÓCRINAS

Um equilibrio hormonal ótimo é extremamente favorável à boa energia sexual e ao bom desempenho sexual. Para isso, concorre o equilíbrio da testosterona (hormona sexual masculina), do estradiol (hormona sexual feminina), da hormona de crescimento e da hormona tiroideia, essencial para que estas condições ótimas se verifiquem.

Saliente-se ainda que a presença excessiva de prolactina constitui um importante fator na diminuição do desejo e do desempenho sexual.

CONDICIONANTES ENDÓCRINAS – HIPOGONADISMO

Hipogonadismo é uma doença na qual as gônadas (testículos nos homens e ovários nas mulheres) não produzem quantidades adequadas de hormonas sexuais, como a testosterona nos homens e o estrogénio nas mulheres.

A ausência de puberdade é um sintoma comum do hipogonadismo. Os adolescentes acabam por não desenvolver o pénis, apresentam falta de pêlos e a alterações na voz.

Nos adultos os principais sintomas são: baixa de líbido, dificuldade de ereção, baixa produção de esperma, perda de massa muscular e acúmulo de massa gorda, falta de energia e desânimo.

ATROFIA DOS CORPOS CAVERNOSOS E/OU TÚNICA ALBUGÍNEA

A atrofia dos corpos cavernosos e/ou da túnica albugínea afigura-se, possivelmente, uma das causas mais comuns de disfunção erétil e impotência sexual. Portanto, esta patologia reflete-se no processo de envelhecimento de estruturas essenciais da função erétil, podendo estar associada a numerosas causas endógenas e exógenas.

Entre as causas endógenas desta patologia identificamos o tabagismo, diabetes e as infeções causadoras de prostatite.

Já as causas exógenas podem estar relacionadas a traumatismos do desporto (ciclismo), cirurgia e o stresse.

DIABETES

É importante, antes de mais, entender a forma como a diabetes pode limitar o normal desempenho sexual. O processo físico é simples: começa por se verificar o endurecimento das artérias (arteriosclerose) e dos corpos cavernosos a ritmo acelerado, processo que resulta na restrição do fluxo sanguíneo ao pénis. Os corpos cavernosos perdem flexibilidade.

Então, as lesões nervosas (neuropatias) impedem a normal transmissão de impulsos nervosos para os vasos sanguíneos e para os corpos cavernosos do pénis. Esta condição é uma das formas que a neuropatia diabética assume, estando igualmente na origem da perda de sensibilidade e na manifestação de dor nas pernas quando os referidos nervos estão envolvidos.

MEDICAÇÃO

O uso de alguns fármacos também contribui para o aparecimento da disfunção erétil, entre eles citamos os tratamentos para:

  • Depressão
  • Ansiedade
  • Psiquiátricos
  • Úlceras
  • Diabetes
  • Hipertensão arterial
  • Colesterol

PROSTATITE

A prostatite é uma inflamação/infeção da próstata. De acordo com a duração dos sintomas pode ser classificada como aguda ou crónica (sintomatologia persistente mais de 3 meses).

Sintomatologia funcional: aumento de ereções espontâneas a par de ereções normais, intensificação de ereções normais, enfraquecimento de ereções normais, disfunção eréctil, impotência, ejaculação precoce, ejaculação retardada, não ejaculação, orgasmo menos intenso, orgasmo doloroso, anorgasmia, baixa motivação sexual, alteração do volume ejaculado, infertilidade primária, infertilidade secundária.

As perturbações da função sexual são muitas vezes a única queixa do portador de prostatite.

CIRURGIA

Embora não seja uma regra, a cirurgia de remoção radical da próstata por conta do cancro pode causar a disfunção erétil. Isso ocorre porque a operação pode provocar danos sérios nos nervos e nas artérias próximas da próstata, interferindo assim no funcionamento do pénis.

PRIAPISMO

O priapismo consiste numa ereção permanente e dolorosa que ocorre sem estimulação sexual, podendo manter-se até 6 horas.

Formalmente, tratava-se de um problema circunscrito aos indivíduos que padeciam de formas raras de doenças do sangue, como a anemia de células falciformes.

Ereções com duração de 4 ou mais horas devem ser consideradas emergências médicas! Esses casos exigem a pronta intervenção de um Urologista, prevenindo assim a destruição extensa dos tecidos resultante da falta de fluxo sanguíneo e de oxigénio para o pénis.

Para mais informações consulte Clínica do Poder!

Contacte-nos!

VIVA COM SAÚDE, PODER E QUALIDADE DE VIDA!

GOSTE E PARTILHE MAIS E MELHOR SAÚDE!




Sem comentários:

Publicar um comentário