quarta-feira, 1 de abril de 2020

VAMOS MELHORAR A NOSSA IMUNIDADE EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS

Porque a crise atual, COVID–19, resulta de uma pandemia que não sendo a primeira, é a mais perigosa até agora, e porque as epidemias e pandemias virais, se têm repetido a intervalos de 2 anos aproximadamente, certamente não será a última, colocando-nos desafios continuados e até talvez permanentes, obrigando-nos assim a uma preparação para a ação permanente. 

Inspirado na disciplina e preparação militar, tenho desde o início desta pandemia vontade de vos escrever, sobre este cenário excecional que vivemos em Portugal e em todo o mundo, acerca da pandemia do COVID-19, que nos afeta a todos, tanto no plano pessoal como profissional. 

A preparação permanente para a ação aos profissionais de saúde e às pessoas com disciplina e foco em objetivos estratégicos que são a preservação da vida e da saúde individual e coletiva.

Cada um é responsável por si e pelos outros!

Em primeiro lugar, pessoalmente e em nome da Clínica do Poder, quero transmitir uma mensagem de apoio comum a todos os profissionais de saúde, do Serviço Nacional de Saúde e também do privado, bem como a todos os profissionais nos setores público e privado, que se encontram nos dias de hoje na linha da frente de atuação e, transmitir a nossa disposição de acompanhar-vos na medida do possível nesta situação. Também gostaria de pessoalmente abranger com a nossa simpatia e solidariedade, todos aqueles que tenham sido diretamente afetados pela infeção, em especial os que tenham perdido algum ente querido, e que passam por momentos especialmente difíceis. 

Enfrentamos atualmente um enorme desafio, que é ajudar os nossos pacientes a enfrentar um novo vírus, para o qual nem nós, nem o nosso sistema imunitário, temos experiência prévia, e que pode apresentar manifestações clínicas de gravidade variável, estando as pessoas com um sistema imunitário deficiente (idade avançada, patologias crónicas e/ou afecções respiratórias) em maior risco.

Também não dispomos na data atual, de um tratamento específico para a infeção por SARS-CoV-2, por consequência são imprescindíveis as medidas de prevenção, tanto no ponto de vista de Saúde Pública, como do individual.

Neste sentido desejamos sublinhar as orientações oficiais definidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e as recomendações por parte do Governo através da Direcção Geral da Saúde / Ministério da Saúde, tanto para a população geral como para os profissionais de saúde. Apesar de tudo, numa perspectiva de prevenção, desejamos salientar a importância acrescida que nesta situação têm a defesa e a promoção do Sistema Imunitário das pessoas.

Uma infeção pelo novo coronavírus mata principalmente homens com mais de 80 anos de idade com deficiência imunológica, mas, pessoas de todos os escalões etários e géneros, podem ser severamente afetadas se estiverem em condições de imunidade reduzida. O vírus mata 10 vezes mais facilmente do que a gripe. Atualmente, a gripe ainda mata 50 a 100 vezes mais pessoas por ano, devido à sua muito maior frequência. O nosso objetivo é disponibilizar informações fundamentais para prevenir a doença e reforçar o sistema imunitário de todos, de modo a preservar a saúde de toda a população.

Ações preventivas e nutrição


Existem duas maneiras de nos protegermos contra o coronavírus: evitando a infeção (contágio) ou evitando que a infeção se transforme em doença, especialmente em doença grave e potencialmente mortal. 

Estaremos livres da infeção se não tivermos contacto com pessoas infetadas, utilizando as excelentes medidas preventivas de saúde pública sugeridas pelo governo.

No caso de acontecer o contágio, podem acontecer três situações: 1 - Infeção sem sintomas (sem doença); 2 – Doença leve ou moderada; 3 – Doença grave e potencialmente letal.

É o estado de saúde do Sistema Imunitário que determinará como a infeção vai evoluir. Se o sistema imunitário estiver a funcionar adequadamente, a infeção irá evoluir sem doença ou com doença leve, como acontece na grande maioria dos casos; se estiver comprometido, a tendência será de a infeção evoluir para doença moderada ou grave.

Resulta então que é fundamental o nosso empenho no sentido da manutenção, otimização e recuperação da nossa saúde imunitária, especialmente porque no caso do COVID-19, ainda não dispomos de vacina nem de imunidade prévia, visto que se trata de um novo vírus.

Recomendamos que:


Mantenha a atmosfera interior suficientemente húmida.

Onde quer que estejam, em espaços interiores (casa, escritório, salas de aula, …), mantenham a atmosfera suficientemente húmida (pelo menos 65-70% de humidade) usando humidificadores que espalham vapor no ar ou abrindo janelas quando chove, por exemplo. A principal razão pela qual as infeções virais e bacterianas são muito mais frequentes no Inverno, e não no Verão, é porque durante o Inverno o ar interior é demasiado seco devido ao sobreaquecimento. 

O sobreaquecimento seca a mucosa (membranas mucosas) do aparelho respiratório (garganta, laringe, brônquios e bronquíolos dos pulmões). Como consequência, a mucosa torna-se muito mais fina e frágil, permitindo que milhões de vírus penetrem facilmente no corpo, sobrecarregando o sistema imunitário. Quando o ar é suficientemente húmido, a mucosa das vias respiratórias engrossa e resiste muito melhor aos vírus. Resultando em que muito menos vírus, ou nenhum, consegue penetrar, e os que o fazem, são facilmente neutralizáveis pelo sistema imunitário, se este estiver adequado.

Mantenha o seu sistema imunitário ótimo


1Evite o medo e o pânico: ambos causam ansiedade, que por sua vez aumenta a produção pela glândula suprarrenal de cortisol, que deprime o sistema imunitário.
2Reduza a ansiedade: Uma forma prática, rápida, eficaz e sem efeitos colaterais de reduzir a ansiedade, é a respiração controlada. Deve praticar várias vezes por dia, sentando-se com as costas bem direitas, fechando olhos e boca, e respirando de forma lenta e suave o mais profundamente possível, focando-se na entrada e saída do ar, durante alguns minutos de cada vez. Esta prática tem um efeito ansiolítico, resulta também em aumento da oxigenação do organismo e por consequência melhora o funcionamento de todas as células, incluindo as do sistema imunitário.
3Mantenha um regime de sono regular: basta uma noite mal dormida para prejudicar o sistema imunitário.
4Elimine o consumo de álcool, tabaco e drogas: qualquer delas pode prejudicar o seu sistema imunitário.
5Hidrate-se adequadamente: Beba muita água,> 2L/dia, no caso das mulheres e >2,5L/dia no caso dos homens. Esta recomendação é particularmente importante nos idosos, pois nestes a sensação de sede está diminuída. Uma hidratação insuficiente prejudica o funcionamento de todas as células e órgãos, incluindo os responsáveis pela defesa contra agentes infeciosos; resseca as mucosas tornando-as mais vulneráveis a infeções, estimula a inflamação, fragiliza o sistema imunitário, e causa ainda mais prejuízos ao funcionamento do organismo.
6 - Siga um regime alimentar anti-inflamatório (vegetais e frutas frescas, carne cozida ou cozida a vapor, ou frango), evite todos os doces, grãos não germinados e produtos lácteos que tornam o seu sistema imunitário menos eficaz.
Alguns alimentos que fortalecem a imunidade e com atividade antimicrobiana:
  • Limão: Possui comprovada ação reguladora da IMUNIDADE (imunomoduladora), anti-inflamatória, ansiolítica, antialérgica, antimicrobiana, antifúngica e antiviral, bem como outras. O limão pode ser utilizado como SUMO e a sua CASCA RALADA, usada em vários pratos.
  • Cúrcuma: A curcumina que é o seu principal princípio ativo apresenta forte atividade imunomoduladora, anti-inflamatória, pneumoprotetora, cardioprotetora, neuroprotetora, antitumoral, antibacteriana, antifúngica, antiparasitária e antiviral (hepatites B e C, herpes simplex, coxsackie B3, HIV, papiloma, encefalite japonesa e corona vírus SARS CoV).
  • Gengibre: O Gingerol e os outros 168 compostos bioativos do gengibre têm, entre outras, atividades: imunomoduladora, anti-inflamatória, antioxidante, analgésica, neuroprotetora, cardioprotetora, pneumoprotetora, antitumoral, antibacteriana, antifúngica, antiparasitária e antiviral (hepatite C, dengue e talvez COVID-19).
  • Brócolos: Ricos em vitaminas (E, C, K, B, A, carotenóides), sais minerais (selénio, cálcio, ferro, zinco) e compostos bioativos com diversas ações: imunomoduladora, anti-inflamatória, antitumoral, antibacteriana, antifúngica e antiviral (influenza, vírus sincicial respiratório).
  • Mel: É rico em vitaminas (B2, B3, B5, B6, B9 e C), em sais minerais (potássio, sódio, cálcio, ferro, fósforo e magnésio) e peróxido de hidrogénio (água oxigenada), o mel possui ainda vários compostos bioativos, especialmente quercetina e miricetina, responsáveis pela sua atividade imunomoduladora (principalmente imunoestimulante), anti-inflamatória, antidiabética, antibacteriana (inclusive bactérias resistentes a antibióticos, antifúngica (candidíase), e antiviral (rubéola, herpes e vírus respiratório, inclusive o coronavírus MERS – CoV).
  • Aveia: É fonte de proteínas de alta qualidade, minerais (cálcio e ferro) e vitaminas (B e E) e de dois compostos bioativos importantes a GLUCANA BETA e a AVENANTRAMIDA, a primeira é um poderoso imunoestimulante e aumenta a resistência contra infeções por bactérias, vírus, fungos e parasitas, e a segunda possui atividade anti-inflamatória e antioxidante.
  • Açaí: A velutina e outros compostos do açaí apresentam, entre outras, atividades: imunomoduladora, anti-inflamatória, pneumoprotetora, cardioprotetora, antidiabética, antidepressiva, analgésica, antitumoral, antibacteriana, antifúngica e antiparasitária. A possível atividade antiviral ainda não foi testada.
  • Linhaça: Os lignanos, principais compostos bioativos da linhaça apresentam diversas atividades como: imunomoduladora, anti-inflamatória e antioxidante. Para destruir possíveis efeitos tóxicos das sementes de linhaça, é conveniente aquecê-las em forno de micro-ondas a 100º C, durante 1 minuto antes de consumir. 
  • Uva tinta e amendoim: Ambos têm uma característica comum, são ricos em resveratrol, um composto bioativo que tem ações: imunomoduladora, anti-inflamatória, nefroprotetora, pneumoprotetora, hepatoprotetora, enteroprotetora, mioprotetora (músculos), antitumoral, antibacteriana, antifúngica, e antiviral (herpes simplex, influenza, varicela zoster, citomegalovírus, HIV, polioma e coronavírus MERS-CoV).
  • Soja: Possui isoflavonas com atividades imunomoduladora, osteoprotetora (osteoporose), antidepressivas, antitumoral, antibacteriana, antifúngica, e antiviral (rotavírus, herpes simplex, adenovírus, HIV, vírus respiratórios incluindo os coronavírus SARS-CoV e MERS-CoV).
  • Kefir: É o leite fermentado em casa por um conjunto complexo de lactobacilos e leveduras probióticas, que produzem o seu próprio alimento prébiotico (kefirano). Apresenta forte atividade imunomoduladora, (aumenta a imunidade anti-infeciosa, antitumoral, controla alergias, suprime a autoimunidade), tem ações: anti-inflamatória, antitóxica, antibacteriana, antifúngica e antiviral (hepatite C, HTLV-1, rotavírus, herpes, influenza aviária).

Todas as propostas aqui enunciadas, não apresentam efeitos colaterais indesejáveis se utilizadas com sensatez, e poderão concorrer não só para a proteção do novo coronavírus, mas de qualquer outro agente infecioso.

7 - Tome suplementos nutricionais que melhoram a imunidade: a manutenção da integridade e funcionalidade do sistema imunitário, depende também de níveis adequados de vitaminas e sais minerais especialmente nos idosos onde são mais frequentes as carências.


Destaco as seguintes opções:


A. Vitamina C: 1-2 g/dia: atua contra vários vírus responsáveis por infeções respiratórias e coronavírus aviário. Neste mesmo momento, o complexo hospitalar chinês aplica doses elevadas de vitamina C intravenosas para a prevenção e tratamento de pneumonia pelo novo coronavírus com muitos benefícios. (https://www.greenmedinfo.com/blog/chinese-medical-team-report-successful-treatment-coronavirus-patients-high-dose-v0)
B. Vitamina D: 10.000 UI/dia, regula o sistema imunitário e atua contra o coronavírus bovino.
C. Selénio: atua contra o vírus da Influenza, corona vírus aviário, e, bloqueia mutações virais. É aconselhada a dose de 100 µg/dia de levedura de selénio orgânico ou seleniometionina a tomar fora da refeição.
D. Zinco: atua contra o vírus do sarampo e o coronavírus SARS-CoV. São aconselhados 15mg/dia a tomar fora da refeição durante não mais do que 3 meses e seguidamente fazer uma pausa de 1 mês.
E. Extrato de Própolis Verde (seco ou em líquido 70-80% pureza) 20 gotas/dia para prevenção ou 20 gotas 3x/dia com comida em processos de infeção ou inflamação. Possui inúmeras substâncias que produzem efeito anti-inflamatório, antioxidante, antibacteriano, antitumoral e antiviral. Entre estas destacam-se o Artepellin C e o CAPE (do inglês: Caffeic acid phenethyl ester). O conjunto dos seus componentes tem mostrado enormes benefícios no fortalecimento da imunidade contra vírus e bactérias por aumentar os níveis linfocitários, ativar a apoptose e por reduzir a inflamação. 
F. Probióticos: um suplemento alimentar constituído por uma sinergia de estirpes de lactobacilos e bifidobactérias, nomeadamente: Lactobacillus rhamnosus GG; Lactobacillus paracasei; Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium bifidum, tem mostrado resultados importantes no fortalecimento imunitário geral, capacitando a imunidade contra vírus e bactérias. Aconselha-se a toma de 12-18 mil milhões de Lactobacilos e bifidobactérias revivificáveis por dia a tomar com as refeições.
G. Vitamina A: 25.000-100.000 UI/dia; atua contra vírus, nomeadamente contra os do sarampo, HIV, coronavírus aviário.
H. Ferro: bloqueia mutações virais. São sugeridas as formas: Sulfato ferroso, Gluconato ferroso e Bisglicinato ferroso. A dose adequada deverá ser: Homens adultos (18-99 anos) e Mulheres na pós-menopausa ou que não menstruam 8 mg/dia; Mulheres adultas (em idade fértil) 18 mg/dia.
I. Ácidos gordos Ómega 3: atuam contra o vírus Influenza e o HIV. Aconselha-se uma dose de 2-3g/ dia a tomar durante a manhã para efeito anti-inflamatório notório.

Zhang L. Liu Y (2020). Potential interventions for novel corona virus in China: A sistematyc revew. Journal of Medical Virology DOI: 10. 1002/jmv.25707
Visweswara Rao Pasupuleti et alli (2017) Review Article: Honey, Propolis, and Royal Jelly: A Comprehensive Review of Their Biological Actions and Health Benefit. Oxidative Medicine and Cellular Longevity Volume 2017, Article ID 1259510. DOI:10.1155/2017/1259510
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Se já sofre de uma infeção viral (coronavírus ou outra) é recomendado um tratamento nutricional ideal (proposta pelo Dr. Brownstein – EUA) a incluir nos primeiros 5 dias de tratamento:
  • + 50.000 UI/dia de vitamina D3
  • + 5 a 10 g/dia de vitamina C (de acordo com a  tolerância; o excesso produz diarreia)
  • + Vitamina A 100.000 UI/dia

A adição de 5 a 10 gotas de uma solução de iodo (como o Lugol a 5%) é sugerida pelo Dr. Thierry Hertogue – Bélgica.


A importância de um bom equilíbrio hormonal


A Testosterona no homem


A importância da Testosterona reflete-se em todos os aspetos da saúde humana.

Quando falamos em saúde e em sexualidade, surge frequentemente uma dúvida, quer entre homens quer entre mulheres: afinal, o que é a Testosterona? É uma hormona esteróide normalmente associada ao homem, mas que também existe no organismo feminino. É produzida nas glândulas suprarrenais, nos testículos e nos ovários. Níveis ótimos de Testosterona traduzem-se em inúmeros benefícios:
  • Prolongamento da qualidade de vida, retardando o envelhecimento
  • Desenvolvimento da massa muscular, da força e da resistência físicas
  • Aumento da densidade óssea
  • Melhoria do bem-estar e da condição psicológica
  • Maior tolerância à atividade física
  • Aperfeiçoamento da tonicidade da pele
  • Melhoria da capacidade de cicatrização e de cura
  • Aumento da líbido, do desempenho sexual e da saúde sexual
  • Proteção contra doenças cardiovasculares
  • Prevenção contra a artrite
  • Redução da gordura corporal (particularmente a nível abdominal)
  • Diminuição do colesterol “mau”

A Testosterona é a 2ª melhor hormona no que concerne à energia e ao bem-estar, daí que a suplementação com Testosterona seja fortemente recomendada para ambos os sexos.
Sobre o sistema imunitário o efeito é indireto ou colateral, mas útil.


A Testosterona na mulher


Na mulher, a insuficiência de Testosterona apresenta inconvenientes que devem ser acautelados.
Embora seja a principal hormona masculina, a Testosterona exerce um papel relevante na saúde da mulher. No entanto, a maioria da comunidade médica ignora ou não valoriza esta realidade.

Vantagens do tratamento hormonal com Testosterona em mulheres:
  • Diminuição ou eliminação da deterioração de músculos, ossos, ligamentos e tendões
  • Proteção contra o cancro da mama, doenças cardíacas e depressão
  • Aumento da energia e da força física
  • Melhor desempenho metabólico
  • Maior resistência física
  • Melhoria estética e perda de gordura com o exercício
  • Melhoria geral da qualidade de vida, incluindo em termos da função sexual

Efeitos secundários do tratamento com testosterona na mulher


Não surpreendentemente, o recurso à hormona sexual masculina para efeitos de tratamento na mulher pode originar alguns efeitos secundários como acne, crescimento indesejado de pêlos e maior densidade vocal.

No entanto, a ocorrência destes efeitos depende da dose aplicada, sendo também possível revertê-los interrompendo a terapêutica.

Na mulher, a terapêutica com recurso a testosterona não envolve aumento do risco em desenvolver cancro da mama, cancro do útero ou doenças cardiovasculares. A maioria dos estudos demonstra, aliás, o contrário.

A sinergia entre exercício físico, regime alimentar adequado e otimização hormonal constitui a melhor fórmula para ter saúde, bem-estar, energia sexual e poder.
Sobre o sistema imunitário, o efeito favorável é indireto ou colateral, mas útil.


Otimização da Tiroideia


A correção do hipotiroidismo melhora o sistema imunitário a longo prazo (vários meses)

O que é a Hormona Tiroideia?

A Hormona Tiroideia é uma hormona segregada pela glândula Tiróide que regula a temperatura corporal, o metabolismo e a função cerebral. Contribui para a obtenção de bons níveis energéticos e para a regulação de temperatura corporal.
A profunda influência desta hormona manifesta-se no organismo como um todo.

Função da Hormona Tiroideia

A importância desta hormona fica bem patente na variedade de funções que desempenha no organismo humano:

  • Aumenta o desgaste de gordura pelo metabolismo, resultando na diminuição da gordura corporal e na redução do colesterol “mau”
  • Protege contra doenças cardiovasculares
  • Desenvolve o metabolismo cerebral
  • Melhora os níveis energéticos, reduzindo a fadiga
  • Ajuda a prevenir a degradação da função cognitiva e da memória
Recomenda-se a suplementação com hormona tiroideia em homens e mulheres que apresentem sintomas de Hipotiroidismo.

Sintomas de Hipotiroidismo

Existem mais de 200 sintomas relacionados com baixa função tiroideia. Entre os mais comuns destacam-se os seguintes:

  • Temperatura corporal mais baixa
  • Insuficiente circulação sanguínea nas mãos e nos pés
  • Fadiga física e mental
  • Memória fraca (episódios frequentes de esquecimento)
  • Pensamento confuso
  • Instabilidade emocional
  • Dores musculares e articulares
  • Pele seca, queda de cabelo e unhas quebradiças
  • Perturbações digestivas (diarreia e outras)
  • Instabilidade emocional
  • Colesterol elevado
  • Aumento de peso e volume por acumulação de gordura
Maso que fazer quando os valores laboratoriais de hormona Tiroideia se apresentam dentro da normalidade e os sintomas são de hipotiroidismo?

Esses valores, entendidos como normais, podem não ser - e frequentemente não são - aqueles que lhe proporcionam mais saúde e bem-estar. Na verdade, estas condições obtêm-se através do valor ótimo da hormona tiroideia.

Neste caso, deverá ponderar a realização de um tratamento que otimize a função tiroideia.

Benefícios do tratamento de compensação tiroideia

As vantagens deste tratamento manifestam-se aos mais diversos níveis, quer no aspeto físico quer psicológico:

  • Regulação do metabolismo e da temperatura corporal
  • Aumento energético
  • Redução dos níveis de colesterol
  • Perda de gordura corporal, tendo em vista um peso adequado
  • Proteção contra doenças cardiovasculares
  • Melhoria das funções cerebrais, da cognição e da memória
  • Proteção contra a depressão e as alterações de humor
  • Aperfeiçoamento da saúde da pele, cabelos e unhas
  • Melhoria da saúde em geral
  • Proteção contra o declínio funcional.
O tratamento de compensação tiroideia promove o aumento da energia sexual e o seu poder individual!
Sobre o sistema imunitário o efeito favorável é direto.

A Hormona de Crescimento Humano

A otimização dos níveis de Hormona de Crescimento melhora o sistema imunitário a longo prazo (meses).

Otimize a sua energia sexual e poder individual tratando-se com Hormona de Crescimento.

Há séculos que a busca pela “fonte da juventude” é uma constante. De forma mais ou menos romântica, mais ou menos científica, com variações na designação (também lhe chamam “elixir da juventude”, por exemplo), essa busca tem assumido as mais distintas formas. Hoje, por via da Medicina Antienvelhecimento/Antiaging, a recuperação da juventude é uma realidade.

Benefícios da reposição de Hormona de Crescimento

Desenvolvimento da massa muscular
Redução da massa gorda
Aumento da energia física e psíquica
Melhoria do desempenho sexual
Regeneração dos órgãos vitais
Restauração do sistema imunitário
Melhoria da qualidade óssea
Redução do colesterol
Melhoria da função cardíaca
Aperfeiçoamento da cicatrização a nível geral
Pele mais firme
Crescimento mais saudável dos cabelos
Melhoria da visão
Melhoria do humor
Melhoria das funções cerebrais

 Rejuvenescimento biológico

A suplementação com Hormona de Crescimento é fortemente recomendada para ambos os sexos, sempre no quadro de um tratamento global de antienvelhecimento. De salientar que uma nutrição correta, a prática bem planeada de exercício físico e um estilo de vida saudável podem aumentar significativamente os magníficos benefícios do tratamento com esta hormona.

A Hormona de Crescimento influencia outras hormonas, trabalhando em sinergia com elas. Funciona melhor se incluída no quadro de um equilíbrio hormonal global.

Um nível baixo de Hormona de Crescimento (ou de outra hormona) deve ser tratado como uma deficiência; pouco importa que seja essa a condição “normal” para a idade - um médico que pode melhorar o estado de saúde do seu paciente restaurando uma hormona para o seu nível ótimo deve fazê-lo.

Sobre o sistema imunitário o efeito favorável é direto.


Os tratamentos de otimização hormonal são protetores, os seus efeitos são: prolongar a vida e promover uma melhor condição de saúde (evitando doenças relacionadas com a idade).

O sistema imunitário é mais estimulado pela timosina alfa-1 (que é produzida naturalmente pelo organismo). A timosina α-1 (também chamada timalfasina) é uma proteína que pertence à família das timosinas que é segregada pelo timo com o objetivo de aumentar a capacidade imunitária. 

A timosina α-1 origina-se a partir de um precursor de 113 aminoácidos, a protimosina. É um agente imunomodulador capaz de potenciar a resposta imune. Promove funções específicas como a maturação dos linfócitos, o aumento da função das células T, a inibição da proliferação e a indução da apoptose em muitas linhas celulares tumorais. Dadas as suas funções a timosina α-1 usa-se clinicamente para o tratamento de imunodeficiências, das  hepatites B e C, neoplasias, entre outras.

Função: 
Atividade sobre a imunidade celular
Atividade sobre a imunidade molecular
Atividade sobre a fagocitose
Atividade em processos tumorais
 Aplicação terapêutica: 
Hepatites B-C
Neoplasias
Vírus da imunodeficiência adquirida (VIH).

Com a progressão da idade, a glândula produtora da Timosina α-1, o TIMO, atrofia e vai perdendo muitas das suas capacidades.

É possível reabilitar o TIMO para as suas funções determinantes, para que este nosso órgão da imunidade, possa voltar a exercer naturalmente as suas funções. Torna-se possível com o tratamento regenerativo por fotobiomodulação, com recurso ao LASER. (ver mais adiante).


O Cortisol e a sua controvérsia


O tratamento com cortisol é muito importante. De facto, os pacientes com deficiência da suprarrenal (de que resulta a deficiência de cortisol) são altamente propensos a infeções, por isso devem corrigir essa sua deficiência a fim de obter uma situação de menor risco de infeção não só por coronavírus, como por outros vírus e bactérias.


A controvérsia


Online e nos jornais, tem sido noticiado que o ibuprofeno e outros medicamentos anti-inflamatórios, os chamados AINEs (Anti Inflamatórios Não Esteróides), podem reduzir a resistência à infeção pelo coronavírus ou por qualquer outro agente infecioso, vírus, bactérias, fungos e parasitas, em resultado de redução da capacidade de resposta do sistema imunitário, para além do aumento significativo do risco de complicações, nomeadamente o de ocorrência de Enfarte Agudo do Miocárdio.

Isto pode não ser verdade para o anti-inflamatório hidrocortisona ou qualquer outro derivado do cortisol quando estes suplementos são tomados em doses fisiológicas seguras para corrigir uma deficiência da glândula suprarrenal, em combinação com a ingestão de uma quantidade semelhante de DHEA, a outra hormona adrenal importante, que protege contra os efeitos colaterais do cortisol. Quanto maior for a dose de DHEA, maior pode ser a dose de cortisol sem causar atrofia e outros efeitos indesejáveis. 

Em caso de deficiência da suprarrenal, a administração de cortisol associado ao, DHEA, estimula o sistema imunitário.
Em doses excessivas, porém, e se administradas durante várias semanas, o cortisol e seus derivados reduzem o tamanho do timo, a produção de células imunes e de hormonas da timosina pelo TIMO, e assim, criam uma deficiência imunológica.

Para evitar os efeitos imunodepressores de ambos, AINEs e Corticoides, a alternativa que propomos, é um poderoso instrumento, de otimização do sistema imunitário, com efeito regenerativo, e ainda, com efeitos analgésico, antipirético e anti-inflamatório, sem efeitos colaterais indesejáveis se adequadamente utilizado, a:
FotoBioModulação com LASER contra a infeção VIRAL

Extremamente relevante é a sua ação não específica, querendo assim dizer que a capacidade do LLLT (Low Level Laser Therapy) de exercer um efeito curativo numa ampla variedade de condições patológicas e doenças, se explica pelo seu efeito positivo no próprio organismo, e não no organismo patogénico. A radiação LASER, ativa as defesas do corpo humano, elimina as violações à regulação de vários processos, primariamente do sistema imunitário e dos seus tecidos de suporte trófico.

Apoiando e/ou ativando as próprias defesas do corpo humano de forma tão natural, o tratamento com LASER permite alcançar a verdadeira recuperação (significa que se consegue uma longa remissão, por muitos meses ou anos), sem efeitos colaterais (tais como o desenvolvimento de resistência aos antibióticos e reações alérgicas) e nem complicações, o que é um efeito qualitativo adicional positivo da fotobiomodulação com LLLT.

Alguns estudos mostram que tratamentos regulares, 1 a 2 vezes por ano, com FotoBioModulação por Laser (LLLT), permitem prevenir o desenvolvimento de relapsos de doenças crónicas em quase 100% dos casos. Outros estudos mostram uma significativa redução da probabilidade de ocorrência de infeção viral. Em grupos nos quais se utilizou o tratamento com LLLT no período inicial de uma epidemia de influenza, a incidência da doença foi 10 vezes menor do que na situação epidemiológica geral na mesma região. Este tratamento LLLT é usado para prevenir a incidência sazonal.

Como funciona?

Estudos mostraram que a LLLT é capaz de ativar as citocinas, incluindo os interferões (IFN), que desempenham um papel crucial na primeira linha de defesa contra vírus, promovendo a imunidade adaptativa.

A LLLT é capaz de ativar as células T citotóxicas, que destroem as células infetadas por vírus, prevenindo a disseminação deste. Estas duas propriedades da LLLT, permitem combater com efetividade uma infeção viral, especialmente como instrumento de prevenção.

Assim, a FotoBioModulação com LLLT é um método completamente seguro e altamente eficaz de tratamento e de otimização do sistema imunitário, aplicável quando a proximidade física for “segura”.

Microimunoterapia

Por fim e muitíssimo relevante também, quero-vos falar na microimunoterapia.

Na resposta imunitária face a infeções, a capacidade de resposta da vertente Imunidade Inata, na qual participam, por exemplo, células como as Natural Killer, é especialmente importante como primeira linha de defesa, particularmente face a um primeiro contacto com o antigénio. Posteriormente entra em ação a imunidade adaptativa, especialmente através dos linfócitos TCD8 citotóxicos, assim como com os linfócitos B, enquanto produtores de anticorpos. Quando pelo contrário nos encontramos perante um elemento patogénico já conhecido, a imunidade adaptativa ativa-se mais rapidamente, com intervenção de células TCD4 e TCD8, anticorpos de memória (embora em caso de vírus respiratórios, a memória dos anticorpos pode ser de menor duração).

Atualmente não são conhecidos em detalhe, todas as características especificamente associadas ao COVID-19, mas já existe no âmbito da microimunoterapia, uma ampla experiência clínica na preparação da imunidade e prevenção para enfrentar infeções virais. Assim sendo devemos ter em conta o sistema imunitário, no marco de um plano de prevenção adaptado a cada paciente, incluindo medidas como a microimunoterapia, orientadas para o reforço da sua capacidade de resposta, e ainda as já mencionadas anteriormente, recomendações para um estilo de vida saudável, com cuidados alimentares, repouso adequado, prática de exercício físico não excessivo, o evitamento de situações que acrescentem stress ao stress gerado pela situação atual e evitar também situações que possam prejudicar a saúde respiratória (por exemplo, fumar), recomendações que são agora mais importantes que nunca.

Dr. José Pereira da Silva
Diretor Clínico na Clínica do Poder




Para ajudar a dar resposta às necessidades dos nossos pacientes e da população em geral temos, agora, um novo serviço de VIDEO CONSULTA.

Agende já a sua!!

+351 932 344 093

Horário de atendimento: 
De segunda a sexta, entre as 08h00 e as 17h00



Sem comentários:

Publicar um comentário